Viajar faz de você uma pessoa melhor

Se você tiver a oportunidade de arrumar suas malas e ir, vá! E, se for preciso, vá sozinho. Não tenha medo, viva!

Não viaje só pelas férias, pelo luxo ou para ter fotos lindas no seu Instagram. Viaje por você e para você. Porque viajar, sem dúvida, vai fazer de você uma pessoa melhor. E eu sou uma prova disso, acredite!

E aqui estão alguns porquês:

Aprendendo a estar sozinho
Almoce com você mesmo. Sente-se com os seus pensamentos e fique bem com a liberdade deles. Ame-se de todo o coração , especialmente em momentos de solidão. E quando você acha que não pode sentar sozinho por muito mais tempo, vai descobrir que se sente seguro fazendo isso.

Acreditando na bondade de estranhos
Estranheza não impede atos aleatórios de bondade. Aceite-os! Entenda-os! E respeite a vontade de fazer o bem de quem você não conhece.

Aprendendo a viver com menos
Isso não significa passar por necessidade, hein! Seja humilde e reconheça suas fortunas.

Aprendendo a se adaptar com as mudanças de planos
Itinerários são diretrizes, não medições rígidas ou regras. As melhores experiências muitas vezes não estão programadas ou previstas. Espere o inesperado e aprenda a curtí-lo!

Aproveitando momentos
Esqueça daquele ônibus perdido e desfrute da cultura que pode ser absorvida em uma hora esperando no ponto. Viva o presente, seja ele onde for!

Forçando-se a viver fora da sua zona de conforto
Ouse e fale a língua do lugar, mesmo que você não a saiba fluentemente. Experimente os sons, os sotaques e até as gírias. Faça novos amigos!

Aprendendo a ser paciente
Não se zangue com a fila do museu. Não se apresse na hora de comer, vai dar tempo de conhecer tudo. Não balance sua perna pra cima e pra baixo ou revire os olhos enquanto espera sua mala na esteira. Não grite ou xingue caso tenha interpretado o mapa errado e se perdido. Não se preocupe, você vai chegar lá!

Abrindo a sua mente
Tente ver as coisas de maneira diferente. Faça perguntas. Abra um novo campo de pensamento e de possibilidades diferente do seu habitual. As diferenças estão por todos os lados, em todos os lugares. E são elas que instigam nossa curiosidade no outro.

Sentindo falta de casa
Aprecie a saudade da família, dos amigos e dos entes queridos. Aprecie o conforto das rotinas mundanas. Encontre um novo sentido para a rotina que você geralmente gostaria de fugir.

Aprendendo que adeus não é para sempre, a vida tem infinitas possibilidades
Família torna-se mais do que apenas sangue. Nunca diga adeus às pessoas que você conhece e os lugares que você vai. Valorize as novas famílias e casas que você ganhou mundo afora. Mantenha contato e olhe para trás com boas lembranças. Afinal, no fim dessa viagem toda, o que a gente vai levar para sempre aqui dentro são as boas lembranças.

Aiai, meio que me emocionei escrevendo isso. Ter descoberto um novo eu durante minhas viagens é algo pelo qual serei eternamente grato a quem me incentivou em deixar meu cercadinho e conhecer o mundo.

Viagens não devem ser mensuradas em países, cidades e lindas paisagens. Viagens devem ser medidas em experiências e em amadurecimento.

Esse post foi inspirado em uma matéria que eu li outro dia sobre um nova-iorquino que diz ter mudado completamente de comportamento desde sua primeira viagem. Hoje, viajando pelo 19º país, ele afirma que todo e qualquer resquício do seu ‘eu‘ anterior havia ficado espalhado pelos lugares por onde passou. Inspirador, não?!

Texto: Jo Machado
Blog: chickenorpasta

0 Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leitura anterior
I Seminário de Gestão da Escalada de Farroupilha/RS – Brasil
Próxima leitura
4 dicas para fotografar paisagens usando seu celular