Convento da Penha – Vila Velha/ES

Num penhasco – de 154 metros de altitude e localização privilegiada a 500 metros do mar – que ostenta no seu entorno imponente fragmento da mata atlântica, está edificado o Convento da Penha, fundado por Frei Pedro Palácios, que aqui chegou em 1558, trazendo consigo o Painel de Nossa Senhora das Alegrias.

O monumento arquitetônico, peculiar na singeleza e sobriedade, apresenta em sua trajetória histórica muitas reconstruções como a excepcional concepção arquitetônica do Convento, incrustado na rocha do morro, abrindo as janelas de suas celas para o magnífico panorama da barra de Vitória e do oceano Atlântico, enquanto de sua fachada se tem bela vista panorâmica de Vila Velha.

Convento da Penha
Foto: Internet

Marco da arquitetura do período colonial brasileiro, o conjunto do Convento da Penha foi tombado como patrimônio histórico cultural pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1943.

Ladeira da Penitência 

A Ladeira da Penitência” que é uma via de acesso ao Convento exclusiva de pedestre, é também conhecida como a “Ladeira das Sete voltas” ou ainda das “Sete Alegrias de Nossa Senhora”.

A subida pela Ladeira da Penitência resulta numa caminhada de 457 metros, cheia de encantos pelas pedras seculares do calçamento, pelo verde da árvores seculares, pelas sete voltas com suas cruzes e mini-nichos com imagens para meditações e orações.

Na década de 1940 construiu-se o novo caminho de acesso rodoviário para o convento, cujo portão foi construído em 1952.

Convento da Penha
Foto: Internet

Museu

Instalado pelo então guardião do Convento, Frei Alfredo W. Setaro, em 1952, o museu de Nossa Senhora da Penha, na antiga Casa dos Romeiros. Foi reinaugurado, no ano de 2000, pelo guardião Frei Geraldo A. Freiberger. O Museu de Nossa Senhora da Penha exibe vários objetos do acervo histórico do Convento, selecionados nas raras coleções que documentam o cotidiano do Santuário, por mais de quatrocentos anos.

Convento da Penha
Foto: Internet

Ruínas e Escravos

No patamar em frente da Secretaria Conventual, existe um portão no muro que dá acesso, por uma escadaria, à casa de hóspedes. Deste ponto, pode se ver uma área gramada com ruínas. É também o acesso à senzala dos escravos.

Segundo o historiador franciscano desta Província da Imaculada, Frei Basílio Röwer, autor de Páginas de História Franciscana no Brasil, o número de escravos “ultrapassava o de qualquer outro convento”. Esta mão-de-obra, de que os franciscanos dispuseram desde os tempos coloniais, era por eles empregada nos mais variados serviços: nas lavouras do pomar, no atendimento do gado e limpeza dos currais, nas atividades da pesca, nos encargos ligados à rotina diária dos conventuais. Fala ainda frei Basílio dos escravos músicos “para solenizar as festas e acompanhar as procissões” e se refere também aos escravos que os franciscanos alugavam aos moradores de Vila Velha e de Vitória para serviços em geral, fato muito comum durante a escravatura negra no Brasil. Com estes aluguéis, os donos de escravos obtinham ganhos extras.

Convento da Penha
Foto: Internet

Mata Atlântica

A faixa de Mata Atlântica existente no Santuário da Penha é o mais importante pulmão verde da cidade de Vila Velha e abriga uma variada flora e fauna em 50 hectares. Mas nem sempre foi assim. Na segunda metade do século XX, a mata do morro estava bastante devastada. Foi a partir de 1970 que começou a preocupação com o reflorestamento do morro, com o plantio de árvores nativas, um trabalho realizado pela Vale do Rio Doce, o governo estadual e o Convento. Milhares de mudas de árvores nativas foram plantadas, fazendo com que atualmente o verde da flora realce o branco das paredes do convento no alto do morro. O efetivo reflorestamento da mata do Convento foi feito de janeiro de 1990 a dezembro de 1993, quando foram utilizadas 2.500 mudas/ha, sendo 60% de espécies pioneiras, 15% de secundárias iniciais, 15% de secundárias tardias e 10% de climáticas. Além de muitas espécies de répteis – é muito comum encontrar a família de jiboias pelo morro -, há muitos saguis e aves no morro.

Convento da Penha
Foto: Internet
DCIM100GOPROGOPR0113.
Foto: Luís H. Fritsch
Convento da Penha
Foto: Luís H. Fritsch
Convento da Penha
Foto: Luís H. Fritsch
Convento da Penha
Foto: Luís H. Fritsch

Como chegar:

Rua Vasco Coutinho, S/Nº

Bairro: Prainha

CEP: 29100-231 Vila Velha – ES.

Fone: (27) 33290420

E-mail: convento.aacp@gmail.com

como_chegar_convento_da_penha_trs

Outras informações sobre o Convento da Penha – Vila Velha/ES, clique aqui.

1 Comentário

  • Marines T Ferrari,

    Adorei a homenagem, muito interessante publicar sobre este marco e ponto turistico do ES. Realmente imperdivel.

  • O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Leitura anterior
    Explorando a Serra Gaúcha!
    Próxima leitura
    Uma compilação de ranchos e cabanas abandonados pelos 4 cantos do mundo!