Esta foi para mim a grande questão que surgiu quando eu tive a idéia de fazer uma longa aventura de bicicleta através do sul de nossa América do Sul, percorrendo grande parte da Patagônia e da Terra Del Fuego.

bicicleta

Eu já tinha lido alguns livros sobre viagens de bicicletas, e esta “bagagem” literária foi um importante ponto de partida para começar a organizar as coisas. Esta é sem dúvida a primeira dica: leia muito e informe-se sobre o assunto e para isso, nada melhor que um bom livro que relate uma aventura na região onde se pretende ir.

Estabelecer os destinos e o roteiro para percorrer, pesquisando rotas, pontos de interesse, localidades, cidades e a época do ano em que será realizada a viagem é de grande importância. A soma destas variáveis será determinante no momento de preparar a bicicleta, escolher a barraca, os equipamentos, acessórios e vestuário. Podemos dizer dependendo da região e estação do ano, a escolha do conjunto de itens, podem fazer grande diferença e até mesmo influenciar no sucesso ou fracasso daquilo que se tem planejado em mente.

Determinar o estilo de viagem, as atividades que pretende realizar e o tempo de duração são fatores muito importantes na hora de fazer os cálculos e estimativas de custos financeiros.  Um roteiro que passe por pontos turísticos em alta temporada, geralmente elevam os custos. De outra maneira, se for feito um planejamento que combine baixa temporada e lugares menos famosos, os custos podem despencar e tornar a viagem muito econômica.

the north face

Quando falo do estilo de viagem, refiro-me também em qual tipo de hospedagem serão feitas as pernoites. Hotéis, pousadas, hostels, campings, acampamentos selvagens ou ainda hospedagem solidária como, por exemplo, couch surfer ou warm showers.

Também é importante estabelecer como serão feitas as refeições durante os dias de viagem. Em restaurantes, paradouros ou comprando os alimentos em mercados e preparando as próprias refeições.

As escolhas feitas nestes dois tópicos anteriores são determinantes no momento de definir os equipamentos necessários para garantir um mínimo de conforto e comodidade, bem como, influenciam muito nos custos financeiros.

Existem ciclistas que viajam parando apenas em hotéis e pousadas, fazendo suas refeições em restaurantes e bares de estradas e com isso conseguem a vantagem de poder carregar menos equipamentos e conseqüentemente pedalar com bem menos peso. Fato que possibilita vencer distâncias maiores em menor tempo, mas com um custo financeiro elevado.

Por outro lado, há quem prefira um modo mais rústico e despojado de conforto e comodidade, para realizar sua viagem. Pernoitando em campings, postos de combustíveis, áreas verdes e preparando suas próprias refeições, e tendo assim, uma viagem de custo baixíssimo, mas que por outro lado, acarreta em carregar mais peso na bicicleta por conta dos itens necessários para satisfazer as necessidades de abrigo e preparo da alimentação.

O próximo passo importante é pesquisar o clima da região que se pretende ir e qual a melhor época do ano para uma temporada de aventura. Regime de chuvas, temperatura e tempo de luz solar, são os fatores mais comuns  com os quais deve-se ter atenção.

A parte burocrática não pode ser deixada de lado nessa hora de preparar a aventura. Documentos de identificação, carteira de vacinas, nota fiscal de compra da bicicleta, são indispensáveis quando se está na estrada, principalmente no exterior. Alguns países exigem certos tipos de vacinas e uma carteirinha válida e reconhecida internacionalmente que comprovem que se está imunizado. Para viajar entre países da America do Sul, em sua grande maioria, basta apenas ter uma cédula de identidade com menos de 10 anos. Quanto mais nova, melhor. Carteira de habilitação para veículos não vale. Já para fora da América do Sul, o passaporte é a regra.

Em se tratando de viagem ao exterior, é muito importante saber todas as regras sanitárias de fronteira dos países por onde vai passar. O Chile, por exemplo, é extremamente rigoroso no trato de suas barreiras sanitárias. Proibindo o ingresso no país com alimentos in natura ( frutas, laticínios, carnes e etc.).

bicicleta

Os aplicativos de celular estão aí para ajudar na hora de navegar em mapas, fazendo uso do GPS e pesquisar lugares de interesse de hospedagem, entre outras tantas possibilidades. Um bom celular com uma série de APPs é uma ferramenta que facilita muito durante a viagem.

Para fechar a lista de coisas que respondem a questão de como fazer uma grande viagem, é estar com bom condicionamento físico e ter a garantia de que se está gozando de boa saúde. Para isso, é altamente recomendável estabelecer um período de treinos de ciclismo e uma consulta médica para ver se está tudo certinho com a “máquina”. Com esses cuidados, a certeza que está tudo bem para encarar a aventura, é o sinal verde para seguir em frente e ter sucesso no plano.

Essa matéria não tem a pretensão de ser um guia definitivo de como se fazer  as coisas. É sim,  um apanhado geral das coisas que fiz e que considero essências para que a viagem como um todo, seja uma experiência prazerosa e concluída com tranquilidade e segurança.

Se você gostou, tem alguma dúvida ou ainda, acrescentar algum questão que ficou faltando, deixe seu comentário. Será um prazer trocar uma ideia sobre esse vasto assunto.

0 Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leitura anterior
Review Salomon SuperCross
Próxima leitura
Alimentação na trilha, o que levar